Mensagens com notícias fakes em Whatsapp e Telegram

fakenews_capa_reproducao

Reprodução/technewsexpert.com

Você alguma vez já recebeu fakenews? Fakenews é o termo dado para notícias mentirosas e que na era da internet se disseminam muito rapidamente pelas redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas como Telegram e WhatsApp.

O títulos das supostas notícias muitas vezes apelam para o furo de reportagem, com conteúdos bombásticos, embora as vezes lhe encaminhem para páginas contendo o teor da notícia mesmo ele sendo mentiroso ou verdadeiro, é preciso tomar cuidado com links que você clica indiscriminadamente.

Um fato corriqueiro que vou narrar agora se passou comigo, se trata de uma mensagem recebida em um grupo de família, e tinha o mesmo teor e estrutura das imagens a seguir.

Reprodução/Faucetspool

Fato esse que vi acontecer com diversas pessoas próximas a mim em círculos de amizade diferentes, todas com o mesmo teor de conteúdo da mensagem. Isso ocorreu porque é comum as pessoas acreditarem sem questionar antes o que leu, muitas vezes só encaminha, quando na verdade deveria filtrar e só passar adiante se for importante e principalmente, verdadeiro.

Ao clicar no link você se depara com isto:

Reprodução/Faucetspool

Embora um resultado cômico, é importante alertar que hackers se aproveitam da curiosidade das pessoas para explorar falhas de segurança em dispositivos, esta mensagem felizmente não é uma dessas oportunidades, mas é necessário ter bastante atenção no que você está clicando.

Na primeira foto, note que há dois links, um pequeno que se refere a uma página verdadeira e um segundo que é bem maior que é onde a pegadinha acontece, muita gente não se atenta pra isso, não percebe e confunde os dois como sendo um link único, como a área de clique é maior no segundo link, acabam clicando nele, e clicam muitas vezes em decorrência do título e descrição da mensagem provenientes do primeiro link.

Você deve saber que quando se cola um link no chat de Telegram ou WhatsApp, o aplicativo renderiza uma preview, links que vem após o primeiro pré visualizado não são renderizados e podem passar despercebidos se o usuário não tiver a atenção necessária.

Neste fato muita gente caiu e se vingou dos seus amigos encaminhando a mesma mensagem e isso virou um ciclo quase sem fim de compartilhamentos, foi apenas uma brincadeira boba.

Analisando o link da brincadeira, nota-se que se trata de uma URL do próprio Google, especificamente ligado a sua plataforma de busca de imagens, fiquei sabendo disso pois verifiquei o dono do certificado SSL e pertencia ao Google.

Reprodução/Faucetspool

Brincadeiras a parte, mas então – se eu entrar numa página com certificado SSL estou seguro, não há nada com o que se preocupar – Errado! Hoje em dia é muito simples certificar uma URL.

Se você cair em uma página com SSL procure saber mais detalhes a respeito do certificado, como por exemplo os domínios autorizados a usá-lo, um domínio B pode usar um certificado outorgado para o domínio A, neste caso a maioria dos navegadores exibem uma exclamação ou uma mensagem de alerta quando isso ocorre.

Minha dica é: Não clique indiscriminadamente em links desconhecidos, e se a curiosidade for maior que você, utilize de meios seguros para isso, um exemplo é o uso de máquinas virtuais, elas servem como uma caixa de areia e se você for infectado lá dentro, qualquer coisa que tenha entrado no sistema da VM (virtual machine ou em tradução livre máquina virtual) está limitado.

Antivírus auxiliam, mas não são onipotentes, há algum tempo o criador da McAfee comentou o seguinte:


Eu não uso antivírus. Acho que eles estão mortos e que são baseados em uma tecnologia velha, que não é mais relevante. Kits de hackers são lançados 10 vezes mais rápido [que atualizações para os antivírus]

Os antivírus só combatem o que já conhecem, falhas de sistema ou definições de vírus ainda não conhecidas não podem ser detectadas, é como funciona com nós mesmos, tomamos vacinas para que nosso corpo conheça a forma do vírus e possa combatê-lo quando ele vier a nos infectar e é por isso que corriqueiramente os antivírus recebem atualizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *